quinta-feira, 20 de maio de 2010

Superpop – Programa de Luciana Gimenez chama Gretchen, forrozeiro e pastores gays para debater sobre a Bíblia. Assista ao vídeo

Nesta terça-feira a Bíblia foi o tema discutido no programa Super Pop da apresentadora Luciana Gimenez. Falando sobre homossexualismo, vida com Deus e interpretações da Sagrada Escritura, foram convidados os pastores gays Marcos Gladstone e Fábio Inácio, Gretchen, pastor Otoni de Paula Júnior (Missão Vida), Emanuel de Albertin (intérprete da música Adão e Ivo) e um pastor da Igreja Renascer em Osasco.Visite: Gospel, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel

O debate foi marcado por discussão e, muitas vezes, até brigas entre os convidados.

Ao falarem sobre o tema homossexualidade o pastor da Igreja Contemporânea, Marcos Gladstone, contou que era pastor da igreja Renascer e que convivia com outro pastor gay. “Porém ele me falava para esconder isso. O que acontece hoje na nossa sociedade é que as pessoas vivem um relacionamento duplo”, disse.

Em defesa dos homossexuais o pastor Fábio Inácio citou uma passagem da Bíblia em que Jesus fala para o homem deixar seus pais e se unir a uma mulher. Porém o pastor disse que nem todos entenderiam essa passagem porque na época existiam os eunucos, pessoas que não praticavam o ato sexual ou que não possuíam o órgão sexual.

Nesse momento o pastor Otoni de Paula Júnior o interrompeu dizendo que conhecia a faculdade em que Fábio Inácio se formou e afirmou que a hermenêutica utilizada para fazer a análise do texto estava errada.

Outro ponto de discussão foi a divulgação do vídeo na internet em que mostra a foto do casamento dos pastores homossexuais como plano de fundo e a música “Adão e Ivo”. Segundo o cantor Emanuel de Albertin o video foi postado por um desconhecido. Fábio Inácio afirmou que a música não é uma adoração a Deus, pois em nenhum momento cita Seu Nome.

“Eu não sei por que eles [o casal de pastores homossexuais] estão me processando. Se tivesse a foto do casamento deles e uma música do Roberto Carlos, o cantor também seria processado?”, disse Emanuel de Albertin.

Em resposta Marcos Gladstone afirmou que “o Ministério Público está entendendo que fere uma tutela coletiva. Hoje é a minha união que está ali, amanhã pode ser a filha da Gretchen”. O pastor disse que estava processando o cantor por ferir a imagem dos homossexuais. Porém Albertin disse que não irá deixar de cantar a música porque esta teria sido escrita por Deus.

Sobre esse assunto o pastor Otoni disse que comportamento é diferente de criticar pessoas. “A honra deles é inviolável. A música não fala sobre o casamento. Então eles não podem afirmar que o autor pensando nesse fato. Infelizmente colocaram uma letra em cima de uma foto. Eu não concordo com o processo”.

Para falar sobre o fato de Deus aceitar homossexuais, foi convidado um membro da Igreja Contemporânea, Marcos Aurélio, que afirmou ter sido aceito pelos pastores. “Freqüentei a igreja durante oito anos sendo ainda gay. Eu nasci gay e aos 16 anos eu entrei para a igreja evangélica no intuito de me libertar, querendo ser curado, como muitos gays tentam. Porém tive uma recaída e voltei para as drogas e prostituição. Foi quando pensei em me matar que os pastores Marcos e Fábio me amaram”, contou.

Mais uma vez o pastor Otoni foi contra e falou que existem vários casos de pessoas que deixam de ser gays e que gostaria que essas pessoas dessem seu testemunho de transformação no programa. “Sabe quem é o primeiro que nos convida a sair do armário? É Deus quando diz que nós precisamos confessar nossos pecados. Pecado é determinado pelo que palavra de Deus diz que é. Eles podem ser felizes, só não podem impor sua prática dentro da igreja”, disse.

O fundador da Igreja Contemporanea, pastor Marcos Gladstone, disse que Deus aceita os homossexuais e que havia realizado um estudo sobre isso. Porém o pastor da igreja Renascer em Osasco falou que Gladstone está pegando textos da Bíblia e mudando o sentido. Ele citou Romanos na passagem em que diz que as pessoas estão mudando a verdade de Deus. Também falou sobre o sexo entre homens na Bíblia. “Portanto a Bíblia trata o homossexualismo como um erro”, falou.

A cantora Gretchen, que se diz evangélica, tentou entrar no assunto, chegou a querer citar a Bíblia, mas foi alertada pelo pastor que estava errada, a passagem que ela falava não era do Livro Sagrado. Ao final Gretchen ainda ironizou o pastor que a corrigiu: “A Bíblia fala venha até mim do jeito que está. Eu estou inventando a Bíblia agora?”

Para finalizar o programa, Luciana Gimenez abriu espaço para cada convidado dar um recado e perguntou ao pastores heterossexuais se eles aceitariam o fato de ter um filho gay. Ambos os pastores disseram que o amariam de qualquer forma, porém tentariam converter o filho. O pastor Otoni finalizou dizendo que quem julga é Deus.

No twitter, durante o programa, pode ser visto uma vasta reprovação não só ao programa Superpop e sua sede por sensacionalismo, mas ao fato de existirem pastores e igrejas gays.

A apresentadora Luciana Gimenez foi duramente criticada por mesmo sendo a mediadora do debate, ter ficado claramente favorecendo os gays. O debate aconteceu um dia antes de uma passeata pró-gay em Brasília.

Fonte: Gospel+

Nenhum comentário: